Rede Amazônica de Informação Socioambiental (Raisg) lança mapa Amazônia 2012

18/06/2012

Amazônia 2012 Áreas Protegidas e Territórios Indígenas traz um conjunto de informações atualizadas e corrigidas em relação ao mapa inédito publicado em 2009. O lançamento será simultâneo nos países que compõem a rede, nesta terça-feira (19). No Brasil, o evento precedido de debate será às 16h, no estande da Fundação Ford, na Cúpula dos Povos da Rio+20, no Rio de Janeiro

Trata-se do único mapa disponível em versão impressa e digital em três línguas (português, espanhol e inglês), apresentando uma visão transfronteiriça e socioambiental, necessária para se compreender a Amazônia, bioma que hoje domina os debates.

O mapa Amazônia 2012 traz informações sobre os 7,8 milhões de km2 da região, compartilhada por oito países e a Guiana Francesa, cuja população alcança 33 milhões de pessoas, incluindo 385 povos indígenas, e que é estratégica para o equilíbrio do planeta.

O objetivo principal da publicação é contribuir para superar visões fragmentadas da região e promover iniciativas e processos integrados, regionais, nacionais e internacionais, que possam contribuir para a consolidação de Áreas Protegidas e Territórios Indígenas – que representam 45% da região – como parte importante da solução para a conservação e o uso sustentável dos ecossistemas.

A ideia é que esse trabalho conjunto, realizado por instituições de pesquisa especialmente vinculadas à sociedade civil dos países amazônicos, possa consolidar uma agenda comum para a análise temática e a elaboração de protocolos de gestão compartilhada e descentralizada da informação. É importante ressaltar a compatibilização e equalização necessárias das diferentes fontes e escalas das bases de dados de cada país que integra a rede, para se chegar a um produto comum e reconhecido por todos. E assim, poder realizar diagnósticos e projeções, antecipar cenários de ameaças e de proteção assim como dar continuidade ao monitoramento das diferentes situações que se apresentam.

Os arquivos digitais do mapa assim como o mapa online podem ser acessados em raisg.socioambiental.org, onde também se encontram noticias e artigos relacionados à Amazônia.

Sobre a Rede

A Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada é um espaço de intercâmbio e articulação de informações socioambientais georreferenciadas, a serviço de processos que vinculam positivamente os direitos coletivos com a valorização e sustentabilidade da diversidade sociocultural na região amazônica.

O principal objetivo da Rede é estimular e possibilitar a cooperação entre instituições que já trabalham com sistemas de informações socioambientais georreferenciadas na Amazônia, utilizando uma metodologia baseada na coordenação de esforços conjuntos, mediante um processo acumulativo, descentralizado e público de intercâmbio, produção e divulgação de informações.

A Raisg firmou um acordo estratégico entre as instituições que dela fazem parte para criar uma base de dados integrada e acessível aos participantes e ao público em geral, assim como uma agenda de intercâmbio, capacitação e produtos cartográficos. Desde 2007, a Raisg se reuniu anualmente e realizou diversos seminários técnicos para treinamento e elaboração de produtos, além de reuniões virtuais.

Com apoio da Fundação Avina, Fundação Ford, Fundação Rainforest da Noruega (RFN) e Fundação Skoll, a Rede é composta pelas seguintes instituições:

Bolívia: Fundación Amigos de la Naturaleza (FAN)

Brasil: Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia Imazon, Instituto Socioambiental (ISA) e Instituto Centro de Vida (ICV)

Colômbia: Fundación Gaia Amazonas

Equador: Ecociencia

Guiana Francesa: DEAL – Governo da França

Peru: Instituto del Bién Común (IBC)

Suriname: The Amazon Conservation Team (ACT Suriname)

Venezuela: Provita e Instituto Venezolano de Investigaciones Científicas (IVIC)

 

Entre as atividades da Rede até agora, destacam-se:

- publicação do mapa inédito Amazônia 2009;

- bases de dados comuns e por país, atualizadas periodicamente;

- elaboração do Mapa do Desmatamento da Panamazônia, com base em metodologia comum e imagens de 2000, 2005 e 2010, a ser lançado até o final de 2012;

- elaboração de um Atlas Amazonía bajo Presión, com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2012, analisando os temas: infraestrutura; energia; focos de calor; desmatamento; exploração de madeira; mineração; petróleo e gás.

Além dos temas gerais equalizados para a Panamazônia, a Raisg prevê como desdobramento a formação de sub-redes regionais, com foco geográfico, escala e informações mais detalhadas e aprofundadas, seguindo na perspectiva da construção do conhecimento sobre a Amazônia por meio da montagem do “quebra-cabeça”e das relações transfronteiriças. Acompanhe o trabalho da Raisg em raisg.socioambiental.org.

Também serão lançados no estande da Fundação Ford os filmes:

A Resposta da Terra (Histórias de agricultores sobre o uso e manejo da terra, seguido de debate) - 15h às 16h. Amne adji kapere mba -(Carta do Povo Kisêdjê para a RIO+20, com o manifesto das mulheres contra o desmatamento das florestas e a poluição dos rios, produzido por Kamikiá Kisêdjê e o Coletivo Kisêdjê de Cinema) - 16h30 até 16h45; Xapiri (sobre o Xamanismo Yanomami, com produção do ISA e Cinemateca Brasileira e realização do Instituto Século XXI (i21) e Hutukara Associação Yanomami) - de 17h até 19h.

Serviço

Quando: 19/6
Onde: Estande da Fundação Ford, Aterro do Flamengo, ao lado do MAM
Horários:
De 15h às 16h -( filme A Resposta da Terra, com histórias de agricultores sobre uso e manejo da terra, seguido de debate)
De 16h às 16h30 - (Mapa da Raisg)
De 16h45 às 17h - (Amne adii kapere mba)
De 17h às 19h - (Xapiri, sobre o Xamanismo Yanomami)

ISA, Instituto Socioambiental.

Fonte: Instituto Socioambiental (ISA)

Local: Parque do Flamengo

Temas Relacionados: Diálogos da sociedade civil, Cúpulas dos Povos

 

Compartilhar: